Image by elizabeth lies

Apneia              

    do Sono.

Sono não restaurador..

Durante o dia, cansaço, fadiga...

Apneia Obstrutiva do sono

A Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) é uma das condições que afetam o sono mais comuns, acometendo milhões de pessoas em todo o mundo.

 

O problema consiste na obstrução ao fluxo da respiração durante o período de sono, reduzindo parcialmente ou completamente a entrada de ar nos pulmões.

As consequências imediatas da AOS compreendem sintomas como sonolência excessiva durante o dia, irritabilidade, humor deprimido, problemas com a memória e falta de concentração.

A longo prazo, há o risco de doenças cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, doenças e arritmias cardíacas, além de outras condições graves como doenças neurodegenerativas e câncer.

A presença de roncos com pausas na respiração durante o sono, engasgos e sensação de sufocamento à noite, acordar várias vezes para urinar durante a madrugada, acordar com a boca seca, sensação de que o sono não descansa, dentre outros sintomas, devem levantar suspeita de AOS.

O diagnóstico é feito pela polissonografia. Neste exame a pessoa dorme sob monitorização com sensores que avaliam os estágios do sono, batimentos cardíacos, fluxo de ar pelas narinas e boca, movimentos respiratórios do tórax e abdome além da saturacão periférica de oxigênio.

O tratamento dependerá da gravidade da apneia do sono, suas particularidades em relação aos estágios de sono e posição corporal, bem como das características clínicas e contexto de saúde do paciente.

Para o tratamento existem opções como terapia miofuncional, dispositivo de avanço intraoral, aparelho de pressão positiva em vias aéreas (CPAP), etc.